CCXP2016 quebra recorde de público: 196 mil pessoas estiveram no evento deste ano, 29 mil a mais que a até então campeã New York Comic Com; edição 2017 tem data confirmada

CCXP2016 quebra recorde de público: 196 mil pessoas estiveram no evento deste ano, 29 mil a mais que a até então campeã New York Comic Com; edição 2017 tem data confirmada Com alguma variação de entonação ou trocando umas poucas palavras, o clichê foi utilizado por inúmeros jornais, rádios, sites e TVs para se referirem a Comic Con Experience 2016: “Durante quatro dias São Paulo se tornou o centro da cultura nerd do mundo.” O que pouca gente esperava (já que é pra usar clichês) é que, de fato, a frase mostraria mais do que um jargão para reforçar o tamanho do evento: computados os números, a terceira edição da CCXP superou todas as expectativas e quebrou o recorde de público deste tipo de convenção.


Ao todo, 196 mil pessoas passaram pelo Centro de Convenções São Paulo Expo durante o evento (realizado de 1º a 4 de dezembro), o que fez com que a CCXP batesse o marco de público que até então pertencia à New York Comic Com (167 mil pessoas). Comparando-se com o público da edição do ano passado, foram 51 mil pessoas a mais e a movimentação financeira, mesmo em tempos de crise, também aumentou em relação a 2016: R$ 18 milhões em comparação aos R$ 15 mi anteriores. Não à toa, a Comic Com Experience 2017 já está com data marcada: ela ocorrerá de 7 a 10 de dezembro do próximo ano.


Difícil dizer o que mais atraiu o público neste ano, já que mega-atrações não faltaram – e sim, houve problemas, como filas enormes e algumas mudanças inesperadas de programação, mas nada que sequer respingasse no sucesso do megaevento. 


Com certeza, os convidados de renome contaram muito. Entre outros, o eterno mestre Frank Miller e o incrível desenhista Jae Lee; a bela e simpaticíssima Natalie Dormer de Game of Thrones (que na sexta-feira apareceu de surpresa pra dar autógrafos e beijinhos dos fãs que tiveram a sorte de estar de um dos lados da feira, porque infelizmente quem estava na outra ala sequer ficou sabendo que ela estava ali após a palestra do dia anterior); os engraçados Neil Patrick Harris (How I Met Your Mother/ Desventuras em Série) e David Ramsey (Arrow); os astros Vin Diesel e Milla Jovovich falando de seus lançamentos ou Evanna Lynch recapitulando sobre os tempos de Luna Lovegood em Harry Potter.


Os cosplayers, que além de concorrerem em concurso se espalharam por todos os pavilhões, também foram sem dúvida uma atração à parte. Todos os personagens de Game of Thrones apareceram por ali (com destaque para Julia Teodorak encarnando uma impressionante Denerys Targaryan); 


super-heróis e super-vilões dos mais em voga (integrantes do Esquadrão Suicida apareceram às pencas, com destaque pra um coringa de Lucas Duarte que fez muita gente achar que Jared Leto estava em São Paulo); 


Mario, Luigi, Wario e outros personagens de videogame; Cavaleiros do Zodíaco e outros mangás e animês dos mais diversos; e até mesmo clássicos do Cult, pop e brega (de Jeannie é um Gênio a Chapolin); superamigos pouco populares (Aquaman com Mera à tiracolo)e até mesmo um “japonês da federal”. 


Personagens em carne-e-osso para todos os gostos, fazendo os convidados se sentirem no meio de uma grande HQ/desenho animado/série/game...


Nos quadrinhos, atrações internacionais como Miller, Lee e Bill Sienkiewicz (vencedor do Prêmio Eisner de 2004 pelas ilustrações da HQ “Sandman: Noites Sem Fim”), Simon Biesley (Lobo), Frank Quitely (Novos X-Men, Grandes Astros: Superman e Batman & Robin) e diversos outros marcaram presença. 


Porém, se por um lado estrelas de fora lotavam os auditórios, no chamado Artists Alley era possível encontrar, conversar e pedir autógrafos a mais de 300 quadrinistas em sua maioria brasileiros – gente como Mateus Santolouco (Tartatugas Ninja), Adriana Melo (doctor Who, Mulher Maravilha),, Vitor Caffagi (Mônica Laços/Valente), Gustavo Duarte (Chico Bento Pavor Espaciar/ Có), Marcatti (Mariposa / Frauzio), Gustavo Ravaglio (Planta), Fábio Ciccone (Magias&Barbaridades), Petra Leão (Mercenários/Mônica Jovem), Flávio Soares(A vida com Logan) e inúmeros outros. 


Ah, quem quisesse podia comprar quadrinhos ou artes, muitas delas originais, ali na hora, com os próprios autores. 


E também foi possível cruzar pelos corredores com grandes gênios como Maurício de Sousa – que anunciou na feira um novo longa da Turma da Mônica - ou a cartunista Laerte. 


Várias celebridades da TV nacional – e bloggers e youtubers - também deram as caras.



As lojas foram um capítulo à parte. Quadrinhos, brinquedos, roupas, fantasia, itens colecionáveis, lojas oficiais da DC, Marvel, Guerra nas Estrelas e Harry Potter. Esta última, por sinal, fechou após três horas de funcionamento no primeiro dia do evento por falta de estoque – situação similar ocorreu nas demais datas (o item mais vendido foi o mapa do malandro, segundo os vendedores; as varinhas, com preços salgados de R$ 350,00, não saíram tanto, mas saíram bem). 


A loja de Star Wars também estava lotada e com filas o tempo todo, com os bonequinhos POP! e as máscaras de Chewbacca chamando mais atenção de quem entrava.


Grandes distribuidoras como a Sony, FOX, Warner Bros. garantiram seu espaço, assim como Netflix e canais como Telecine, HBO (que colocou uma réplica da, digamos, abertura de West World em tamanho real no estande) e AXN, que divulgavam séries e filmes com atrações interativas e exposições. 


Por sinal, a exposição mais visitada da CCXP foi a das 12 armaduras de ouro da série Cavaleiros do Zodíaco, em tamanho natural e reunidas pela primeira vez fora do Japão. 


Mas também fizeram sucesso tremendo as exposições dos figurinos originais de Star Wars: Rogue One e a de figurinos e objetos de cena de Game of Thrones.



Também houve painéis de discussões das mais diversas (de mulheres nas HQs a videogames baseados em quadrinhos e desenhos animados); previews e lançamentos exclusivos de filmes (Moana, da Disney, por exemplo), exibição de documentários (como “For The Love of Mr.Spock”), concurso de Just Dance com presença do campeão mundial do game e da cantora da trilha sonora, e inúmeras novidades e produtos lançadas durante os quatro dias que, com certeza, foram pouco pra se ver tudo o que a CCXP disponibilizou para os fãs. Felizmente, daqui a um ano tem mais!




Assista ao Vídeo:
CCXP2016 quebra recorde de público: 196 mil pessoas estiveram no evento deste ano, 29 mil a mais que a até então campeã New York Comic Com; edição 2017 tem data confirmada

Entre em Contato com o Mundo HQ

Seu endereço de email não será divulgado, porém, deverá ser um e-mail válido para obter a resposta. Campos obrigatórios são marcados*