Coisa de maluco! Smurfs psicodélicos, Batman gay, Olívia bulímica, Caverna do Dragão no inferno e outras lendas dos desenhos animados

Coisa de maluco! Smurfs psicodélicos, Batman gay, Olívia bulímica, Caverna do Dragão no inferno e outras lendas dos desenhos animados Significados escondidos, duplos sentidos, segredos inconfessáveis. Basta um desenho (ou HQ) fazer sucesso que já começam as lendas mais escabrosas sobre o que ele “realmente” é. Em alguns casos, as lendas têm fundos pseudo psicológicos, em outros são deturpações de uma história de verdade e, na maioria, mentiras deslavadas de quem não tem o que fazer. Muitas delas, porém, já levaram preocupação a pais e até censura aos desenhos e aos quadrinhos. Confira, a seguir, a lista das mais absurdas lendas, boa parte das quais é passada via Internet em irritantes spams (aqueles e-mails mandados para uma listagem enorme de pessoas sem que ninguém tenha pedido por eles).


Smurfs, Gargamel, LSD e Cogumelos 


O mito: Os paranoicos de plantão garantem que o desenho dos Smurfs é sobre drogas. Gargamel seria um viciado em LSD e chá de cogumelo (os Smurfs moram em cogumelos) que, em seus delírios, vê homenzinhos azuis com roupas brancas (e, dizem os boateiros via e-mail, “com tendências claramente homossexuais”). O maior exemplo do delírio do vilão é que ele mesmo “conseguiu criar um Smurf” (a Smurfette), mas, em vez de criar outros e usá-los para seus fins, prefere mandar a criatura embora para descobrir onde estão aqueles que nunca consegue capturar... aliás, continua a teoria, “pra que ele queria pegar os smurfs?”. Por fim, Gargamel é ainda sádico, pois adora abusar fisicamente e psicologicamente de seu gato, Cruel.


A verdade: Os Smurfs foram criados por Pierre Culliford (1928-1992), o “Peyo”, em 1958, na Bélgica, e apareceram pela primeira vez como personagens secundários em uma das histórias de “Johan s and Peewit s adventures”. Trata-se de uma espécie de duende azul, que vive em harmonia com a natureza. O desenho é em cima desta fábula e, vale lembrar, não era só Gargamel que via os bichinhos (há episódios em que eles contracenam com outros seres humanos – entre os quais crianças – e animais). Portanto, a não ser que a história inclua usuários infantis, cachorros, pombos e cervos viciados em LSD, esqueça. Além do mais, se Gargamel fosse viciado em chá de cogumelos, ele estaria atrás das casas dos Smurfs e não deles, certo? Quanto ao fato de ele ter criado Smurfette e a soltado, em vez de iniciar sua própria linha de produção de Smurfs, a resposta estava no próprio desenho. Gargamel quer os Smurfs para usar em uma fórmula mágica poderosa, só que Smurfette, quando criada, é uma Smurf artificial, feita por alquimia, por isso não funcionaria na fórmula dele. Ela é, portanto, uma isca para os Smurfs de verdade - aliás, ela acaba se tornando uma Smurf de verdade graças à magia do papai Smurf, que inclusive troca os cabelos pretos dela por madeixas loiras. Outro ponto: claras tendências homossexuais? Talvez esta afirmação tenha sido feita porque antes do aparecimento de Smurfette na aldeia só havia Smurfs do sexo masculino ou porque há um Smurf que adora se olhar no espelho e se produzir (Harmonia). No entanto, vale lembrar que todos tentaram conquistar a Smurfette quando ela chegou na aldeia... e, ainda assim, se os Smurfs fossem gays, qual seria o problema? Que povo mais preconceituoso, sô! Agora, que o Gargamel adora torturar o Cruel isso lá é verdade... e é também uma coisa muito comum em desenhos animados.Vários desenhos têm um personagem que bate no outro. Ou não?

Salsicha, o maconheiro 

O mito: Segundo os boateiros, Salsicha é o típico maconheiro. “É só ver as roupas dele, o cabelo, o cavanhaque, o fato de ele conversar com cachorros”. Depois que fuma, afirmam, Salsicha tem alucinações com fantasmas, mania de perseguição, paranóia. Além disso, sofre de fome crônica e “tá sempre batendo uma larica”. Isso sem falar naquele furgão psicodélico em que eles se trancavam pra fumar um.


A verdade: Essa é muito engraçada! Primeiro, alguém pode explicar por que camiseta e calça boca de sino seria uniforme de usuário de maconha? A roupa do personagem apenas reflete como se vestiam jovens na época em que ele foi criado. Por sinal, os quatro integrantes humanos fixos do desenho - Fred, Daphne, Welma e Salsicha - se vestiam (e cortavam o cabelo) de acordo com a moda para jovens da época, assim como a pintura do furgão é típica de pessoas descoladas daquele período. Quanto a falar com cachorros - e é um desenho, pelo amor de Deus! - todos falam com ele nas aventuras de Scooby Doo. E todos (inclusive policiais e autoridades como prefeitos e governadores) viam os fantasmas que, no fim, nunca eram fantasmas... Tem gente que adora falar bobagem. Vale lembrar que esta lenda até virou motivo para tiração de sarro no filme Scooby Doo, no qual a câmera foca o furgão com fumaça saindo da janela ao som de Bob Marley e, quando se aproxima, é revelado que Salsicha e Scooby estavam fazendo um churrasco ali dentro. Porque esta é a única verdade na lenda: os dois personagens gostavam bastante de comer.


Olívia bulímica e Popeye, um viciado a serviço da Marinha 


O mito: Ninguém escapa da teoria da conspiração: “Olívia claramente usa moderadores de apetite e anfetaminas. Ninguém é tão magro e desesperado assim. Ela deve até ser anorexica-bulímica.Por sinal, o quê o Popeye e o Brutus viram nela? Eles quase entraram na lista por tentarem alguma coisa com ‘aquilo’...”, diz a teoria conspiratória. Popeye, segundo teoria publicada inclusive em um site brasileiro que dizia “analisar a influência dos desenhos e filmes sobre as pessoas”, foi criado para convencer os americanos a se alistarem na marinha, já que naquele país o serviço militar não é obrigatório. E ele é claramente viciado em espinafre, pois tem síndromes de abstinência nas quais fica fraco e que só são resolvidas depois de uma lata da planta. Aliás, seria mesmo espinafre?



Verdade: Olívia é desesperada assim como todo personagem de desenho ou de quadrinho tem uma característica marcante, caricatural - se inclui aí sua magreza exagerada. Na tira original que deu origem a Popeye, Timble Theather, havia uma série de personagens tão magros quanto ela, baixinhos, gordões... Aliás, se é para questionar o que Popeye viu em Olívia, por que não lembrar que o próprio marinheiro é um “sex simbol”? Careca, caolho, baixinho, boca torta, fumando um cachimbo malcheiroso... um gato!
Quanto ao suposto incentivo a entrar para as forças militares, ora, Popeye é marinheiro e não da Marinha Americana. E, diga-se de passagem, já foi até pirata em algumas HQs. Ridículo! No entanto, Popeye foi usado sim pelo “sistema”: para vender espinafre! A ideia de mostrá-lo ficando forte ao comer espinafre tinha como propósito revigorar as vendas desta hortaliça nos EUA. 


Batgays 

O mito: Essa é uma das mais clássicas lendas sobre quadrinhos e desenhos animado. Batman e Robin são gays. Claro, afinal Batman nunca teve uma namorada, se veste de couro colante e sai por aí batendo nos bandidos (descarregando energia sexual e negando sua própria atração por homens...) Para não mencionar que Robin se veste todo colorido e com as pernas de fora (e ambos usam cueca por cima da calça) e depois das aventuras os dois vão descansar numa suntuosa mansão, cheia de vasos, quadros e flores...e todos sabem que quadros e flores não são coisa de homens másculos e heterossexuais.


A verdade: A origem desta história não está em uma lenda, mas em um livro. Em 1954, Frederick Wertham publicou nos EUA “A Sedução dos Inocentes”, no qual afirmava que os quadrinhos incentivavam crimes e degeneração. Entre outras coisas, o suposto psicólogo afirmava que a dupla dinâmica era gay, que a mulher maravilha era lésbica e até que as orelhas do coelho Pernalonga eram dois pênis e sua cabeça uma sacola escrotal (o indivíduo teve a moral de assistir desenhos em slow motion para contar quantas vezes as orelhas do coelho se levantavam, o que para ele eram ereções). Por causa do livro foi criado o código de censura dos quadrinhos e milhares de gibis foram queimados em praça pública. O autor do livro se desculpou, anos mais tarde, e admitiu ter “exagerado”.
Só para constar, Batman - bem como os quatro garotos que vestiram a roupa de Robin, que é colorida porque era na verdade o uniforme dos trapezistas Graysons voadores, pais do primeiro Robin (Dick Grayson) - teve diversas namoradas nas HQs, entre as quais a vilã Mulher Gato e Talia, filha de um de seus grandes inimigos. Por sinal, o quarto Robin, Damian, é justamente filho de Bruce Wayne e Talia. 
Quanto a cueca por cima da calça, esta foi uma tática (ridícula, convenhamos) desenvolvida pelos desenhistas de super-herói para que as roupas justinhas não revelassem a anatomia de quem a veste em detalhes. Por fim, achar que ter uma casa com quadros e flores é indicação de homossexualismo é algo tão tosco que não merece nenhum comentário. Ou talvez mereça um: se em 1954 existisse o termo homofobia, Wertham com certeza o utilizaria estampado no peito.

Caverna do Dragão: Mortos no Purgatório 


O mito: Esta também é clássica. Como o desenho acabou de uma hora para outra (por falta de dinheiro) e o último episódio nunca foi ao ar, inventaram que no último desenho se descobria que os garotos da Caverna do Dragão estavam mortos e o mundo no qual estavam era o purgatório (ou uma parte do Inferno). Os meninos teriam morrido em um acidente no brinquedo do parque de diversões que no desenho os levou aquele mundo e o Mestre dos Magos seria na verdade o diabo, tentando conseguir as almas dos garotos. Uni seria um demônio - já que a pequena unicórnio várias vezes impedia os garotos de irem embora, pois eles não queriam deixá-la à mercê dos perigos daquele mundo. O dragão Tiamate seria Deus, pois o dragão tinha sete cabeças (Deus criou o mundo em sete dias) e estaria na verdade tentando salvar as almas dos garotos. Por fim, o Vingador seria a alma de outro morto que, em busca de redenção, tentava combater o diabo e tirar as armas profanas dos garotos, não podendo revelar quem era porque o diabo impedia...


A verdade: Haja imaginação!!! Pior que esta história foi tão espalhada que até mesmo os autores do desenho tiveram de desmenti-la. Os garotos não estão mortos, o Mestre dos Magos é... o Mestre dos Magos. Vingador era o filho do Mestre dos Magos, que havia sido amaldiçoado e Tiamate (que na verdade é uma dragão fêmea!!!) é uma deusa dragão da mitologia celta/inglesa, muito citada em games de RPG (que inspiraram o desenho). Se você ainda tem dúvidas, por favor leia o argumento do último desenho (o que nunca foi ao ar) e saiba mais sobre a origem do desenho.


Apesar de a maioria destas lendas ser divertida, é importante deixar claro que elas são brincadeiras (algumas de mau gosto) e não histórias reais. Afinal, pelo menos uma delas já foi responsável por censura, queima de gibis e anos de discriminação aos apreciadores de quadrinhos e desenhos animados. Portanto, muito cuidado: não acredite em tudo que lê, vê ou ouve por aí.


(publicado originalmente em maio de 2005 no MundoHQ)

Entre em Contato com o Mundo HQ

Seu endereço de email não será divulgado, porém, deverá ser um e-mail válido para obter a resposta. Campos obrigatórios são marcados*