Hanna-Bar...baridade ! A nova roupagem que a DC deu a clássicos como Scooby Doo e Corrida Maluca nos quadrinhos

Hanna-Bar...baridade ! A nova roupagem que a DC deu a clássicos como Scooby Doo e Corrida Maluca nos quadrinhos Scooby Doo, Corrida Maluca, Herculóides, Jonny Quest, Space Ghost, Flintstones, Frankstein Júnior. Esses – e vários outros – desenhos da dupla Willian Hanna e Joseph Barbera marcaram a infância de milhões de pessoas e estão na memória afetiva de muita gente. Pois essas memórias vão receber um belo chacoalhão graças à DC Comics, que coloca nas bancas - dos Estados Unidos, por enquanto - neste mês de maio de 2016 uma série de histórias em quadrinhos baseada em clássicos HB.


Voltados para um public mais jovem, os gibis trazem uma visão “atualizada” dos desenhos, mas mantendo “o coração e a alma” dos originais. Ao menos é o que garantem os responsáveis pelo projeto. 


“Nós estamos muito ansiosos pela reação dos fãs ao experimentar esses clássicos com um visual e sentimentos mais contemporâneos. Eu também cresci assistindo a estes desenhos e a ideia foi ir além de trazer de volta versões que existiram há 40, 50 anos atrás e pensar: se eles fossem criados e interpretados hoje, como seriam? Então os colocamos nas mãos dos nossos melhores profissionais e o que eles fizeram foi um visual fantástico e que de alguma forma se manteve fiel à origem dos personagens”, diz editor Dan DiDio.


Um dos mais esperados entre os títulos que já estão chegando ao mercado é Future Quest, um mistura dos mais conhecidos heróis de aventura criados pela dupla Hanna-Barbera. Com argumentos de Jeff Parker (Aquaman, Batman 66, Justice League United) e arte de Evan Doc Dhaner (Liga da Justiça e Darkside War: Green Lantern), a revista combina as aventuras de Jonny Quest com Herculóides, Homem-Pássaro, Mightor, Space Ghost, Frankenstein Junior (e Bob!), Os Impossíveis e Galaxy Trio. 


Scooby Apocalypse traz aqueles garotos intrometidos - e seu cão dinamarquês favorito claro – em um mundo cheio de criaturas mutantes geradas por um experimento que não deu certo. Nesta terra apocalíptica (com uma certo apelo de The Walking Dead), Freddie, Velma, Daphne, Salsicha e Scooby-Doo estão em busca da cura para o nanovírus que transformou a Terra em um verdadeiro filme (ou seria desenho ou quadrinho?) de terror. 


Vale ressaltar que o visual dos personagens foi criado pelo veterano Jim Lee, que também assina o argumento das HQs com Keith Giffen (Liga da Justiça 3001). Os desenhos ficam a cargo de Howard Porter (Superman). Por enquanto, essa é uma das adaptações mais esperadas pelos fãs, que já andam debatendo ardentemente se o novo look de Velma (aparentemente transformada em uma pré-adolescente prodígio) é melhor ou não que o clássico. Vá entender... 


Já a nova versão de A Corrida Maluca tem uma cara inegável de Mad Max - e não à toa, já que o design dos carros foi elaborado por Mark Sexton, responsável por Mad Max: fury road. Os personagens ganharam um ar bem mais adulto, com uma Penelope Charmosa mais sexy e Dick Vigarista acompanhado por um Muttley que, bem, provavelmente terá muito mais facilidade em dar dentadas do que aquela tradicional risadinha.


Até porque a linha da história não é a comédia do desenho no qual os corredores malucos fazem de tudo para chegar em primeiro lugar. Ambientada em um mundo deserto cheio de lagos radioativos, tempestades de areia e mutantes canibais, nesta Wackyraceland tem como principal objetivo é chegar vivo na linha de chegada e não necessariamente em primeiro lugar. O argumento das HQs é de Ken Pontac (Reboot, Happy tree friends) e os desenhos são de Leonardo Manco (Hellblazer). 


Por fim, outro título anunciado que gerou frisson junto aos fãs é The Flintstones. A julgar pela arte já divulgada (a desenhista responsável é Amanda Conner (de Harley Quinn e Starfire), esta HQ é a que vai se manter mais fiel ao desenho animado. O argumentista Mark Russell (Prez, God is disappointed in you) promote usar a história para mostrar uma espécie de origem da civilização, recheada de piadas e, claro, daqueles fantásticos utensílios “modernos” dos Flintstones geralmente feitos de pedras e criaturas pré-históricas – a imagem do selfie de Fred e Vilma ilustra bem esse ponto.


Como sempre, homens e dinossauros convivem na história (aliás, o desenho animado é responsável até hoje por muita gente ainda acreditar que houve um tempo em que os seres humanos realmente conviveram com os répteis gigantes). Porém, Russel vai trazer certos conflitos inexistentes no original: já foi divulgado, por exemplo, que Fred passará por maus bocados pra evitar que seu Tigre Dentes-de-Sabre de estimação devore a pequena Pedrita.


É difícil adivinhar se as novas roupagens dos desenhos Hanna-Barbera vão (de)colar. Tentativas de modernizar personagens para o público jovem são, via de regra, arriscadas e imprevisíveis. Quando Maurício de Sousa lançou Mônica Jovem, fenômeno de vendas até hoje, não faltaram profetas prevendo o fracasso da empreitada. Pensando em se aproveitar da onda, outra editora lançou uma versão teen de Luluzinha e o resultado foi desastroso. 


Assim, o negócio é esperar pra ler. Mas duas coisas já são dadas como certas: que o primeiro número de cada edição vai vender muito (afinal, a curiosidade para saber como ficou ou matar a saudade dos personagens é enorme) e que a DC está segura de que a nova linha será, sim, um sucesso. Tanto que já se fala que uma versão atualizada dos Jetsons já está pronta para sair do prelo.


(publicado em 30/04/2016)


Entre em Contato com o Mundo HQ

Seu endereço de email não será divulgado, porém, deverá ser um e-mail válido para obter a resposta. Campos obrigatórios são marcados*