Quadrindex: Maga Patalójika

Quadrindex: Maga Patalójika Origem: Em abril de 1961, o desenhista Carl Barks – conhecido como “o homem dos patos” por sua genialidade ao criar personagens como Tio Patinhas e histórias fantásticas com o núcleo do Pato Donald – decidiu que precisava criar um novo inimigo para o pato mais rico do mundo. Patinhas já tinha revista própria desde 1952 e Barks estava tendo dificuldades para criar o tipo de história pelo qual era mais conhecido, aquele em que o milionário e os sobrinhos partiam em aventuras em países exóticos atrás de tesouros.

“Havia poucas nações para onde mandar os patos que não estivessem em guerra ou enfrentando conflitos internos”, lamentava o autor. Além disso, Barks estava cansado de usar os Irmãos Metralha como única ameaça ao dinheiro do Tio Patinhas.

“A Maga Patalójika é pura fantasia: uma bruxa à moda antiga incrementada com um toque de humor. Eu a desenvolvi como outra ameaça ao dinheiro do Patinhas porque não podia usar os Metralhas o tempo todo. Os Estúdios Disney tinham feiticeiras em quase todos os filmes que faziam. Pelo menos, eu achava que sim. Então pensei: por que não inventar uma? E se eu desse a ela um visual mais ou menos glamouroso, com cabelos negros e olhar provocante, em vez daquela aparência das velhas bruxas gordonas e narigudas?”, disse o autor no livro Uncle Scrooge MacDuck – His Life and Times, editado por Edward Summer.


Inteligente e sedutora, Maga debutou na HQ The Midas Touch (O Toque de Midas, lançada nos Estados Unidos em dezembro de 1961, e que no Brasil pode ser conferida no volume 15 de O Melhor da Disney – As Melhores Obras de Carl Barks). Nesta primeira história, Maga educadamente solicita ao milionário Patinhas uma moeda qualquer para que seja derretida junto a outras moedas que ela coletou de diversos ricaços no planeta e transformada em um amuleto que lhe trará riqueza.

O pato dá a moeda e zomba da feiticeira, mas, ao descobrir que deu a ela sem perceber a “moeda número um”, fica desesperado para recuperá-la. Ele chega a conseguí-la de volta com facilidade ao trocar a número um por outra moeda, porém comenta com a feiticeira que aquela foi sua primeira moedinha, o que faz com que Maga conclua que a número 1 é mais poderosa do que qualquer talismã e, a partir daí, ela resolve que a conseguirá de qualquer forma e torna a primeira moedinha do quaquilionário seu objetivo de vida.


Alguns fãs chegaram a questionar o porquê da Maga não tomar a fortuna de Patinhas com seus poderes, em vez de uma única moeda. A resposta é que a fortuna poderia ser gasta, mas pela crença da bruxa, a moeda sempre traria mais.

Barks produziu nove histórias da Maga, que posteriormente ganhou outras inúmeras aventuras pelas mãos de diversos roteiristas e desenhistas. A personagem também teve certo destaque na série de desenhos animados Duck Tales, produzida entre 1987 e 1990 (foram produzidos 100 episódios que no Brasil estrearam em 1988 pelo SBT e, em 2009, foram ao ar pela TV Globinho). 

Enredo

Maga Patalójika é uma feiticeira italiana, que mora aos pés do Monte Vesúvio, cujo maior objetivo de vida é se apossar da moeda número um do quaquilionário Patinhas. Ela pretende derreter o objeto no vulcão e assim fazer um amuleto para atrair riqueza. Para isso, Maga se utiliza de inteligência, astúcia, sedução e muitos poderes.


Quando foi criada, a feiticeira de Barks usava aviões para se locomover (como qualquer ser-humano, ou melhor, patopolense normal) e a maioria de seus poderes se concentrava nas bombas bestificantes - flashes de luz e fumaça que atordoam a vítima – e poções das mais diversas, entre as quais as que lhe davam poder de comandar animais, de transmutar o rosto da vítima e um perfume hipnótico.

Maga, que se diz descendente da feiticeira Circe, também já usou um bastão que pertencia a ancestral famosa para transformar homens (patos) em animais e, usando textos de Circe, chegou a criar um outro cetro com o qual comandava manifestações climáticas e até mesmo meteoros.

A própria feiticeira consegue se transformar em animais (normais ou mitológicos, como o pássaro Roc) em algumas histórias e, com o passar do tempo, além das poções fantásticas e transmutações, também ganhou outras características mais comuns entre bruxas, como ver tudo por meio de uma bola de cristal e uma vassoura mágica para se locomover.


Em suas tentativas para conseguir a moeda do pato muquirana, Maga já chegou a se aliar com outros vilões Disney, como os irmãos Metralha e até mesmo o Mancha Negra. Este último, por sinal, é objeto de afeição de Madame Mim (a bruxa tresloucada que fez sua estréia em A espada Era a Lei, de 1963), de quem Maga é melhor amiga em algumas histórias.

De fato, há ocasiões em que as duas até dividem a cabana/castelo, se metem em enrascadas cômicas do “dia a dia bruxal” (tentando curar o dragão de estimação que está resfriado ou patentear uma nova poção, por exemplo), tentam em conjunto novas formas de conquistar para Mim conquistar o Mancha/Maga pegar a número um ou ainda brigam muito por causa de suas respectivas obsessões. 


Eventualmente, Maga também se vê as voltas com a sobrinha bruxa (apesar de nunca ter sido mostrado um irmão ou irmã da feiticeira) e os amigos dela.

Personagens

Os principais personagens das HQs de Maga Patalójika, além da própria Bruxa, são:

Laércio (o corvo da feiticeira), Tio Patinhas, Donald e sobrinhos, os detetives do Tio 
Patinhas (personagens genéricos encarregados de vigiar a bruxa), irmãos Metralha e Madame Mim. Há também histórias com outros bruxos, que incluem a jovem sobrinha de Maga, a loirinha Magali, o bruxinho Peralta e a tia dele, a bruxa Vanda. 


Curiosidade: Patinha muito sexy


Dizem que para criar Maga Patalógika Carl Barks inspirou-se em Gina Lolobrigida, Sophia Loren, Malévola (a feiticeira da bela Adormecida) e até mesmo em Morticia Adams. Se uma ou todas inspiraram é alvo de discussão, mas o que é inegável é que a personagem é, sem dúvida, a pata mais sedutora do universo Disney.
A personagem já utilizou por diversas vezes seus encantos pessoais para atrair Patinhas e Donald e é inesquecível a cena da HQ Oddball Odyssey na qual Maga se deita sensual sobre um divã posando como Circe. 

Não se sabe se Barks gostaria de explorar ainda mais esse lado da personagen - nunca é demais lembrar que o autor já havia sido censurado por seus produtores quando desenhou uma pata com seios fartos para contracenar com Donald em uma aventura na praia –, mas o fato é que Maga é considerada sexy por muitos fãs, o que lhe rendeu até mesmo releituras inspiradas. Muitas mulheres também se inspiraram (e se inspiram) no corte de cabelo e maquiagem de Maga.   


Assista ao Vídeo:
Quadrindex: Maga Patalójika

Entre em Contato com o Mundo HQ

Seu endereço de email não será divulgado, porém, deverá ser um e-mail válido para obter a resposta. Campos obrigatórios são marcados*