Quadrindex: Capitão Marvel

Quadrindex: Capitão Marvel Criação: Desenvolvido com a missão específica de concorrer com o Super-Homem, o Capitão Marvel foi concebido em 1940 pelo quadrinista Charles Clarence Beck para a revista Whiz. Em uma época na qual a pior ofensa que um vilão fazia contra um herói era chamá-lo de "paspalhão", o Capitão tornou-se sucesso rapidamente.

A revista do personagem - que no Brasil ganhou o apelido carinhoso de "capitão fraldinha" - chegou a vender, na década de 40, 1,3 milhão de exemplares mensais. Logo foi transformado em série para a TV, com Tom Tyler interpretando o herói - no Brasil, a série foi exibida na década de 70.


Nas bancas, no entanto, Marvel foi obrigado a se aposentar por um longo período, de 1954 a 1973. O motivo foi uma acusação da DC Comics contra a Fawcett Editora (publicadora da revista Whiz), dizendo que o herói era uma cópia do Super-Homem.

O processo se arrastou até que a Fawcett encerrou a publicação e a própria DC comprou o personagem. Curiosamente, outra batalha legal afetou a vida do personagem: como a Marvel Comics tinha registrado o nome e lançado um personagem chamado Capitão Mar-Vel em 1967, a DC não podia usar o título "Capitão Marvel" nas capas das revistas, o que resolveu usando o nome "Shazam" em destaque.

Assim, de 1973 a 1978 a revista Shazam circulou nos EUA e a DC até inventou que o personagem e a família haviam ficado "congelados" nas duas décadas anteriores por causa do "suspendium", uma fórmula maléfica aplicada pelo arquiinimigo dr. Silvana sobre a família do herói (o que explicava porque ninguém tinha envelhecido). Esta nova série, porém, chegou ao fim e o Capitão a partir de então passou a aparecer apenas como "convidado" em outras revistas até 1982, quando foi abandonado por dois anos.

O retorno veio na série Crise nas Infinitas Terras, seguido por uma minissérie em quatro partes (Shazam, the new beggining). O novo começo levou o capitão a participar das aventuras da Liga da Justiça e a ganhar, ainda na década de 80, uma série de desenhos animados, até hoje exibidos em alguns canais pagos e velhas reprises.

Na década de 90, a DC criou a revista The Power of Shazam, dedicada especialmente ao personagem e que chegou a ser publicada no Brasil pela Abril Jovem a partir de 1996, por um curto período de tempo. O personagem também fez uma famosa e importante participação na série O Reino do Amanhã (Kingdom Come), na qual Marvel enfrenta o Super-Homem em uma violenta batalha.

Em 2007, a DC relançou a (mais bela) origem do personagem até agora, um projeto de quatro anos do quadrinista Jeff Smith: Shazam! & a Sociedade dos Monstros. Em 2011, já na reformulação que a editora fez em seus personagens (o chamado Os novos 52), a editora batizou o personagem em definitivo (?) como Shazam e criou uma origem um pouco mais “madura” para o herói, mantendo a mesma ideia, mas já partindo de um Billy Batson de 15 anos, adolescente e revoltado. 


Enredo: O menino Billy Batson é um órfão que ganha a vida vendendo jornais nas ruas de Fawcett City até ser transportado magicamente para a caverna de um velho mago que se identifica como Shazam. O mago conta ao menino que seus pais eram arqueólogos que, em uma expedição financiada pelo "famoso doutor Silvana", haviam descoberto a tumba do feiticeiro no Egito. Antes que pudessem fazer contato com o mago, no entanto, os pais de Billy foram mortos pelo guia (a mando de Silvana) e Billy (que estava em casa de castigo por casa de notas ruins) virou órfão. A irmã do garoto, Mary, estava com os pais, mas havia sido dada como desaparecida. Disposto a ajudar o menino a corrigir as injustiças contra ele e a combater o crime, o feiticeiro concede a ele poderes fantásticos vindos de deuses mitológicos e figuras bíblicas (leia no item curiosidades), que incluem voar, ter super-força e invulnerabilidade (para não mencionar que o garoto fica beeeem mais velho quando se transforma). Para se tornar Capitão Marvel, basta que o menino diga o nome do mago e um raio cruzará os céus e, ao acertá-lo, dará a ele todos os poderes. 




Personagens

Além do Capitão e de seu alter ego Billy Batson (que depois deixaria de ser jornaleito para se tornar jornalista do rádio) completam o lado dos mocinhos o restante da família Marvel - parentes e amigos de Billy que também se ganham super-poderes ao dizerem Shazam (quando isso ocorre, porém, o poder do Capitão é reduzido). Fazem parte da família: Mary, a irmã que é reencontrada e se transforma em Mary Marvel; Capitão Marvel Jr. (um amigo de Billy e Mary que é deficiente físico e ao se transformar usa uniforme azul em vez do tradicional vermelho); o tio Doodles e o tigre de pelúcia falante Tawny. O mago Shazam, com seus milhares de anos, ajuda todos eles. No lado dos bandidos, os principais são o careca, míope e maquiavélico Doutor Silvana (no original, 
Sivana,que no Brasil ficou tão famoso que virou até nome de banda nos anos 80) e, claro, alguns parentes que formam a "família Silvana"; o verme (literalmente) superinteligente conhecido como Mr. Mind (senhor Cérebro); e o Adão Negro, na verdade o guia que matou os pais de Batson e que, ao encontrar um artefato mágico e dizer Shazam, se vê transformado em uma espécie de Capitão Marvel que usa uniforme preto.


Curiosidade: S de Salomão... - Houve uma época em que perguntar o que queria dizer Shazam fazia parte de todos os jogos de trívia, mas hoje poucos se lembram do significado da palavra. Ela é formada pelas iniciais de figuras mitológicas - e uma bíblica - das quais o Capitão adquire seus poderes. Da seguinte forma: a sabedoria de Salomão, a força de Hércules, a resistência de Atlas, o poder de Zeus, a coragem de Aquiles e a velocidade de Mercúrio. Misture tudo e... Shazam!!!

Entre em Contato com o Mundo HQ

Seu endereço de email não será divulgado, porém, deverá ser um e-mail válido para obter a resposta. Campos obrigatórios são marcados*